sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Projeto Pelotas 200 anos

Este trabalho foi realizado no segundo trimestre do ano letivo de 2012, na disciplina de Didática das Ciências.
A proposta era criar um projeto para trabalhar com o aniversário da cidade. Apesar de conter em seu título "200 anos", a ideia pode ser adaptada para os 201, 202...
De certa forma, este trabalho trabalha sob uma perspectiva crítica, e acaba mostrando muitos do aspectos negativos e preocupantes da nossa cidade. Espero, com todo otimismo do mundo, que este trabalho só sirva no futuro para mostrar o quanto evoluímos, só nos resta acreditar.
 Bom, vamos ao trabalho.

Baixe ou veja aqui a versão em pdf do trabalho.

Baixe aqui a música (já com os palavrões censurados) usada no projeto.


Projeto Didático
Tema: 200 anos de Pelotas
Título: “Tudo bem, 200 anos, mas comemorar o quê?”
Ano: 5º ano
Tempo estimado: Uma semana
Materiais: Papeis variados, lápis, material de pintura, computador com acesso à internet, aparelho de som, cd, revistas.
Objetivos:
·         Conhecer os principais aspectos políticos e sociais da cidade de Pelotas;
·         Pensar de forma crítica as informações passadas pelos governantes;
·         Resignificar a realidade do seu bairro e de seu município;
Desenvolvimento:
·         Dinâmica “O que há dentro da mala” com as revistas de prestações de contas das últimas gestões de Pelotas;
·         Análise das revistas;
·         Criação de cartaz com o que as revistas apontam sobre saúde, educação, infraestrutura, emprego, entre outros aspectos relevantes, contrastando com o que os alunos veem acontecer em seus bairros;
·         Audição e leitura da música “200 anos”, do MC Gagui;
·         Proposta de criação de música;
·         Pesquisa sobre os aspectos sociais e políticos da cidade, na sala e informática;
·         Pesquisa sobre símbolos, pontos turísticos e demais aspectos que sejam do interesse dos alunos;
·         Materialização das pesquisas em cartazes, livretos e vídeos;
·         Montagem e ensaio da feira itinerante;
·         Apresentação da feira itinerante em locais que sejam viáveis (dentro da escola, em frente a escola, em outras escolas, em pontos turísticos da cidade, transformando os alunos em artistas de rua e de escolas).
Produto Final: Feira Itinerante produzida e apresentada pelos alunos, com cartazes, livretos, apresentações musicais e outras atividades sugeridas pelos alunos e viabilizadas pela professora.
Avaliação: A avaliação é processual, valorizando todas as etapas da proposta de trabalho.


Anexo
Pelotas 200 anos – GAGUI IDV
Salve “rapá”, represento a minha city,
 Pelotas RS aonde os rap vira hit.
No In Rua sexta-feira ou nos ensaio lá do Wong,
 nas vila mais distante aonde os MC se esconde.
Desculpa as outras quebra mas o pico é Pelotas,
que faz 200 anos e pro gueto vira as costas,
as mesmas que sofriam com chicote na charqueada,
 hoje segue sofrendo os cassetete dos Brigada.
 Sou a voz da perifa e o clamor de vários rapper
 que não tiveram espaço no governo do seu Fetter.
Silêncio dos inocentes em pleno sul do Brasil,
excluíram nossa gente lá do Sete de Abril,
sem lembrar quem construiu,
foi o escravo que serviu,
 pra enriquecer a cidade, transportado num navio.
Passa o tempo e o descendente do escravo da charqueada,
habita o mais   @*7%$#   barraco da quebrada.
No Dunas, BGV, no Pestano, Navega,
faz do rap o griô protesta e não se entrega.
Me responde aí tiozão, simbora quero saber,
tudo bem 200 anos, mas comemorar o quê?
As empresa que faliu, o descaso e o abandono?
Pelotas regrediu e não despertou do sono.
 Vive das aparência das família do passado,
sobrenomes que mantinham a riqueza e o status.
Mas hoje o descendente dos barões do charque,
 utiliza a herança pra fumar pedra de crack.
E entope as narina nas balada de elite,
é   $%*&!#   vagabundo, mas assim é minha city. 

200 anos,
governos insanos,
desmanchando planos,
direitos humanos, meus manos,
apontando canos,
reparando danos
e pra salvar meu povo nem bênção do Vaticano.
É   @*7%$#   os bagulho que rolou,
nos tempos da escravidão por aqui perpetuou.
 Negativismo onde tudo dá errado,
as sombras do passado, os pretos enforcados.
Mesmo com tudo ainda amo minha quebrada,
as pessoas, lugares, esquinas, calçadas,
os guri, a baixada, xavante, a rapa,
o toque da garra, as preta mais rara.
  @*7%@*$#   , como é que eu posso viver sem,
muita prosperidade, muita luz, “vamo” além.
Pra mostrar que quem domina é nós vagabundo,
 Pelotas RS, lado sul..do mundo.
 Agora é a hora dessa   @*7%$# *@  melhorar,
 acreditar no futuro e que tudo vai mudar.
Salve Princesa do Sul, essa é tua,
e de todo aqueles que transitam nas suas ruas.
E torcem por você e acreditam na mudança,
pra quem tem fé em Deus ainda resta esperança.
 De um dia residir num lugar que nos mereça,
parabéns pra você minha querida Princesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares